Bem-vindo

Sinta-se a vontade pra comentar, apoiar ou discordar.

Eu

Minha foto
Posse, Goiás, Brazil
Estou em eterna construção. Sou uma obra inacabada. Me reinvento a cada dia. Ao acordar, posso não ser exatamente como fui ao me deitar. Não sou indecisa, sou flexível. Posso mudar de opinião, mudar de roupa, mudar meus gostos, mas minha essência, essa não muda jamais e a melhor palavra pra me definir é: imperfeita.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Enquanto você me vê gorda e desleixada, eu me vejo feliz.
Enquanto você passa fome pra caber em um jeans 36, eu compro roupas mais folgadas.
Cada um é feliz à sua maneira. Não gosto de nada me apertando, por isso quando a fome aperta, eu como.

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Cacos

Alguma coisa se perdeu. Alguma coisa ficou pra trás. Algo que se quebrou e não tem mais concerto. Mas eu não jogo os cacos fora. São lembranças do que aquilo um dia foi e jamais voltará a ser.

domingo, 6 de janeiro de 2013

Flexibilidade

Não vou mudar meu jeito de ser por ninguém, nunca mais. Difícil é saber qual é meu jeito de ser. Gosto de rock, mas às vezes acordo gostando de sertanejo, forró, jazz, eletro, clássico... Gosto de coisas amargas, mas também gosto de coisas azedas, doces, salgadas, apimentadas. Gosto de vestido e salto alto, mas tem dias em que amo jeans, camiseta e sapatilha. Gosto do meu cabelo cacheado, mas também amo quando os deixo liso.
Não tenho um estilo definido. Sou todos os estilos. Não gosto de determinado tipo de música, gosto de sons. Não gosto de um tipo de alimento, gosto de sabores. Não tenho uma cor preferida, gosto de tonalidades. Como posso me definir, como posso me classificar, me incluir em determinado grupo, se gosto de todos os estilos, se me encaixo em todos eles, se me adapto em qualquer lugar. Algumas pessoas só conseguem ser felizes em seu próprio ambiente, eu consigo ser feliz em qualquer ambiente. Alguns chamam isso de falta de personalidade, eu chamo de flexibilidade.

sábado, 8 de dezembro de 2012

Christiano

Destruída, despedaçada, em frangalhos. É assim que me sinto. Como se tivessem me desmontado e, ao montar novamente, faltasse um pedaço. Vou chorar quando tiver vontade, mas também vou dar risadas quando lembrar das nossas palhaçadas. Vai doer muito, eu sei, mas uma hora a dor da sua ausência vai passar e lembrar de você não será mais tão doloroso. A saudade? Essa vai durar para sempre, mas a gente só tem saudade do que foi bom, a gente só sente falta do que nos fez bem. O pedaço de mim que você levou nunca será preenchido, mas o pedaço de você que ficou estará pra sempre comigo, onde eu estiver.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Mudança de fase

A vida é tão cheia de incertezas... Estamos sujeitos à mudanças. Escrevo a lápis, pois posso mudar de opinião. Posso engordar, emagrecer, pintar meus cabelos, mudar de endereço e até de religião. Isso não muda o que sou. Posso mudar meu jeito de ser, de pensar e de agir. Posso desaprovar suar atitudes, sem deixar de gostar de você. Posso dormir chorando e sorrir ao amanhecer. Posso querer tantas coisas agora e daqui a cinco minutos não querer nenhuma delas. Posso mudar tudo de lugar, virar meu mundo de cabeça pra baixo. Quebrar, rasgar, jogar fora. Tirar coisas velhas, acrescentar coisas novas. Posso fazer o que me der na telha, mudar o que eu quiser. Só o meu caráter não muda.

domingo, 24 de junho de 2012

Despedida

Se alguém perguntar como eu vivi, diga que vivi intensamente, que aproveitei cada segundo. Que quando amei, foi de verdade, quando odiei também foi de verdade, mas nunca permiti que o ódio me consumisse. Que dormi chorando várias vezes, mas na maioria das vezes dormi com um sorriso no rosto.
Diga que já tive o coração inquieto, já me senti sem rumo, sem direção, já sentei e esperei que as coisas acontecessem, liguei o piloto automático e só deixei rolar até entender que eu é quem decido o que me afeta e a forma como me afeta.
Diga que já fui triste, depressiva, mas também vivi momentos de felicidade intensa, que a tristeza só tomou conta de mim enquanto eu não entendia que não existe felicidade eterna, que a felicidade dura alguns instantes, às vezes tão pequenos que a gente nem percebe. Tive que aprender que não adianta correr atrás da felicidade enquanto não aprendermos a valorizar o que já temos. A maioria das pessoas já tem o suficiente pra ser feliz, mas insiste que só será feliz quando realizar determinado sonho, eu já me sinto feliz só por ser capaz de sonhar.
Já tive preconceito, já me achei superior a muita gente, já julguei mal as pessoas, desdenhei de certos lugares e de seus frequentadores, até me conscientizar de que não existe ninguém melhor, nem pior, somos todos iguais, só temos concepções diferentes, a forma entender um assunto varia de pessoa pra pessoa. Aprendi a respeitar a opinião alheia, sem desmerecer a minha, nem tentar impor o que eu penso. Aprendi que qualquer lugar é bom, você é quem faz o ambiente. Se você se sente em paz e tem as companhias certas pode ser feliz em qualquer lugar.
Revi conceitos, limpei minha mente, relevei minhas birras, larguei manias, joguei fora tudo o que me impedia de aproveitar bem o que eu tenho disponível, tudo o que me fazia pensar que não era feliz.
Tive amigos verdadeiros, amigos falsos, amigos que nunca imaginei ter um dia. Os amigos de verdade, guardei no coração e deixei partir, quem quis partir. Os amigos falsos, fiz questão de manter ao alcance dos olhos. Inimigos? Se tive algum, não foi declarado, nunca considerei ninguém como inimigo, sempre acreditei nas pessoas e, mesmo levando algumas rasteiras, não deixei de acreditar.
Tenho uma família que amo, mesmo sem dizer. Pessoas incríveis, que às vezes não entendem esse meu jeito de ser, mas sei que me amam com a mesma intensidade.
Se alguém disser: coitadinha nunca se casou! Responda que não sou metade de ninguém, sou completa, meus amigos, minha filha e minha família me bastam. Não dependo de um par para ser feliz. Com meus amigos aprendi a aplicar bem a regra das quatro operações: multiplicar a alegria, somar a força, diminuir os problemas e dividir a conta do buteco.
Nunca tive medo da morte, posso viver mais uma semana, posso viver 100 anos, se a morte é inevitável, por que temê-la? Se eu morrer hoje, tenham a certeza de que morri feliz, não realizei todos os meus sonhos, pois nunca deixarei de sonhar, mas fiz tudo o que tive vontade de fazer e que estava ao meu alcance.
Pra quem pensa que eu nunca busquei Deus eu respondo: a gente não precisa buscar aquilo que já trazemos dentro de nós. Deus está presente em tudo, em todos os lugares, em todas as coisas, principalmente em mim.
Quer um conselho? Viva cada momento intensamente, seja feliz todos os dias, faça tudo o que gosta sem se preocupar com o que as pessoas pensam de você, quando você é feliz, as pessoas que te amam também são feliz, quem não gosta de você se sentirá incomodado, mas essas pessoas não importa. Valorize a pessoa mais importante desse mundo: você. Assim os outros aprenderão a te valorizar também.
Acho que é só isso que gostaria de dizer.
Um beijo a todos os que caminharam comigo, a todos que eu tive a sorte de conhecer, que passaram por minha vida, mesmo que por instantes, todos foram importantes pra mim e levarei no coração por onde eu andar.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Mais uma de contos de fadas

Tenho a ligeira impressão de que os homens acreditam em contos de fadas, principalmente na história da Bela Adormecida. Eles somem e um dia reaparecem achando que ficamos esse tempo todo adormecidas esperando pelo beijo do amor verdadeiro, que seria o deles, claro.
Acordem. Sentimentos não ficam adormecidos. Feridas, quando curadas, deixam cicatrizes e, por mais que não doam mais fisicamente, só de olhá-las lembramos que um dia doeu.

domingo, 8 de janeiro de 2012

Nunca me senti assim, sem palavras. Não sou verborrágica, mas sempre soube o que falar e quando falar, sem nunca ter que me calar por não saber o que dizer.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Dizem que com o tempo a gente muda, mas não mudamos, só aprendemos a disfarçar melhor...

sábado, 14 de maio de 2011

Sabe quando você sente como se não pertencesse a lugar nenhum? Quando você procura, procura e não encontra razão para continuar vivendo? Quando nada mais tem sentido? É assim que me sinto.

Arquivo do blog